Arte, Cultura e Filosofia

“Não acredite em algo simplesmente porque ouviu. Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito. Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos. Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade. Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração. Mas depois de muita análise e observação, se você vê que algo concorda com a razão, e que conduz ao bem e benefício de todos, aceite-o e viva-o.” (Sidarta Gautama, o Buda)

A mensagem é sempre examinar e ver por si mesmo. Quando você vir por si mesmo o que é verdadeiro — e esse é realmente o único modo pelo qual você pode conhecer genuinamente qualquer coisa — quando isso acontecer, aceite—o. Até aí, apenas deixe de lado o julgamento e a crítica.


"Se um cego guiar outro cego, cairão ambos no barranco."

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Sorvete de Papaya com Cassis




Quando vou cozinhar em datas especiais, gosto de caprichar também na sobremesa.
E na minha família todos adoram Sorvete de Papaya com Cassis. Sempre opto por receitas mais naturais e saudáveis, então criei uma receita de sorvete em uma versão lac-free/gluten-free deliciosa. Nem preciso dizer que foi super aprovada por todos e compartilho aqui com vocês:


Ingredientes:

1 xícara de leite de arroz com amêndoas*
1 mamão papaya (se for orgânico melhor)

400g de creme de leite de soja**
400g de leite condensado de soja
3 colheres de sopa de Xarope de Rosas*** (Geralmente encontro em lojas de produtos indianos. Eu compro sempre na loja anexa ao restaurante Gopala Hari, em SP)


Calda:
Licor de Cassis (opcional)


* Você pode substituir o leite de arroz com amêndoas por leite de soja.
** Você pode utilizar o creme de arroz no lugar do creme de leite de soja. 
*** Se você não tiver o xarope você pode fazer sem, pois também fica delicioso!


Modo de preparo:

Coloque o mamão papaya, o creme de leite de soja e o leite condensado de soja no liquidificador e deixe batendo por 1 ou 2 minutos.
Coloque em uma tigela e leve ao freezer. Deixe congelando por 2 horas ou mais. Retire do freezer, coloque o creme já congelado de volta no liquidificador, acrescente o leite de arroz com amêndoas, o xarope de rosas e bata novamente. Você perceberá que a mistura adquiriu uma cremosidade maior. Leve ao freezer novamente e depois de 2 ou 3 horas já estará pronto para ser servido.


(Rende aproximadamente 10 porções generosas)

Para servir:
Coloque o Sorvete de Papaya em uma taça grande e regue com o licor de cassis a gosto por cima.


Prepare-se para os elogios!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Drinque de Gengibre

Provei pela primeira vez esta bebida num restaurante indiano em São Paulo que adoro, Gopala Madhava.  Minha irmã e eu bebemos vários desse drinque de gengibre, e nos divertimos muito naquele dia.
A Gisele, minha irmã, é minha parceira na cozinha, e além das jantinhas aqui em casa, todo natal da família a ceia é por nossa conta. Então, nos empolgamos e compramos até o livro de receitas do cardápio do restaurante, que tem esta e outras receitas da cozinha indiana maravilhosas e super fáceis de fazer. 


Então, a pedidos, segue a receita do Drinque de Gengibre.

Drinque de gengibre




Rendimento: 10 porções
Tempo de Preparo: 1 hora


Ingredientes:
- 1 xícara de gengibre ralado
- 1 litro de água
- 1 xícara de suco de limão
- 1 1/2 xícara de mel
- 1/4 xícara de açúcar

Modo de Preparo

Cozinhe o gengibre com a água, deixando ferver por 5 minutos. Deixe esfriar. Bata no liquidificador por alguns segundos e coe. Acrescente o suco de limão, mel e o açúcar e mexa bem. Leve a geladeira por 30 minutos.

(Dica: o sabor desta bebida dever ser ardido, azedo e doce na mesma intensidade)


Uma dica para quem quiser conhecer o restaurante é aproveitar o passeio pela Rua Augusta e ir no Espaço Itaú de Cinema, que tem vários filmes cult, as salas acabaram de passar por uma reforma e sempre tem bastante gente descolada.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Eu carimbo, tu carimbas, ele carimba



"Maybe the Poets are right
Maybe Love is the only answer."

"The best way to predict the future
is to create it". (Abraham Lincoln)

EVOLution INvolution REOLution
LOVE



Hey Stranger!
Desmistificar a arte

SE INSPIRAR


 


Esta vida é uma viagem
Pena eu estar só de passagem
(P. Leminski)

Sorte no Jogo
Azar no Amor
De que me serve
Sorte no Amor
Se o Amor é um Jogo
E o Jogo não é meu forte, meu Amor?
(P. Leminski)

domingo, 10 de novembro de 2013

Liberté, Égalité, Fraternité da linguagem artística


Maria Bethânia cantando a música "Carcará" na sua estréia nos palcos, em 1965, quando ainda tinha apenas 17 anos de idade. Esse número fez parte do show "Opinião", que foi um espetáculo histórico de protesto.



Sempre que assisto a este vídeo da Maria Bethânia eu fico impressionada com o jeito que ela canta. É como se traduzisse todo o fogo daquela geração que buscava uma Liberté, Égalité, Fraternité da linguagem artística.

domingo, 29 de setembro de 2013

Riverboat Queen



o homem como ser livre


Alessandra Borges, Ceará, Brasil.

Penso que as necessidades materiais devam ser consideradas usando o bom-senso, mantendo os pés na terra e sem esquecer o propósito fundamental da existência, que é a liberdade. De costas para essa questão da liberdade, e sem termos reconhecido a inutilidade da corrida para satisfazer as ambições, não será possível superar a crise existencial que hoje atravessa a nossa sociedade, que se faz evidente nos relacionamentos de todos os tipos.
Então, se estas palavras fizerem sentido para você, aceite a sua própria natureza e use sua capacidade de transformação para dirigir a sua força para algo construtivo, útil para si e para os demais.
(Pedro Kupfer)

Sim, um caso de amor...













No clima de fazer arte na cozinha, assisti de novo o filme "A Festa de Babette".
Adoro filme antiguinho, e ainda mais quando traz umas mensagens bonitas.
Anotei algumas passagens do filme, para não esquecer delas:

«As únicas coisas que podemos levar conosco desta vida terrena são aquelas que nós doamos».

.«...Essa chef de cozinha conseguia transformar um jantar em uma espécie de caso de amor. Sim, um caso de amor que não fazia distinção entre apetites espirituais...e outros.».

«Eu não cozinhava, eu fazia arte».

«Um grande grito sai da alma do artista, deêm-me a oportunidade de fazer o meu melhor».

«E então descobriremos que tudo o que escolhemos nos foi concedido».